domingo, 16 de maio de 2010

Armas quimicas e poemas'

| |


Eu me lembro muito bem, como se fosse amanhã. O sol nascendo sem saber o que iria iluminar. Eu abri meu coração como se fosse um motor, e na hora de voltar sobravam peças pelo chão. Mesmo assim eu fui à luta... eu quis pagar pra ver. Aonde leva essa loucura? Qual é a lógica do sistema? Onde estavam as armas químicas? O que diziam os poemas? Afinal de contas o que nos trouxe até aqui, medo ou coragem? Talvez nenhum dos dois. Sopra o vento da paz pela praça. E já foi... já foi. Por acaso eu fui à luta... eu quis pagar pra ver. Aonde leva essa loucura? Qual é a lógica do sistema? Onde estavam as armas químicas? O que diziam os poemas? O tempo nos faz esquecer o que nos trouxe até aqui. Mas eu lembro muito bem como se fosse amanhã. Quem prometeu descanso em paz? Pra depois dos comerciais? E quem ficou pedindo mais? Armas químicas e poemas?

0 comentários:

Ir arriba

Postar um comentário

Quem sou eu

Minha foto
Escrevo pra não falar sozinho. - Cazuza https://twitter.com/_alemdosofa
Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email

Guia

Seguidores

Visitantes

contador
 
 

Diseñado por: Compartidísimo
Con imágenes de: Scrappingmar©

 
Ir Arriba