terça-feira, 13 de agosto de 2013

| |

O amor é mesmo uma coisa empacada, doentia, uma faca que te arranca as gotas de sangue do teu corpo uma a uma. Dói depender de alguém, criar um drama sem saída, errar e errar e não saber o que fazer mais. Se a intenção do universo era me desmoronar, pois bem feito. Já precipito minha dor, me jogo aos cantos e esvazio as garrafas todas. Não passa de um jogo, alguns trapaceando e fazendo com que você não chegue ao final.  Um jogo sujo, rancoroso onde ninguém ganha. Ninguém ganha porque antes de chegar ao fim já mudou o propósito, os corações amam tão facilmente que podem sair do fundo mais rápido do que se pode imaginar. Não há placares, não há juízes, hã apenas a decepção e a cartada final que te muda de banca. Dos jogos nos casinos nenhum se compara, nenhuma perca é imune. Todos estão sujeitos a serem dilacerados por uma paixão. 

0 comentários:

Ir arriba

Postar um comentário

Quem sou eu

Minha foto
Escrevo pra não falar sozinho. - Cazuza https://twitter.com/_alemdosofa
Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email

Guia

Seguidores

Visitantes

contador
 
 

Diseñado por: Compartidísimo
Con imágenes de: Scrappingmar©

 
Ir Arriba