sexta-feira, 9 de março de 2012

Carta de uma última e definitiva despedida .

| |

Querido ex-amor



Eis que estou aqui mais uma vez gastando meus dedos em mais palavras que espero que finalmente sejam as últimas. Quero deixar alguns pontos claros, pontos que tantas vezes esquecemos de ressaltar e simplesmente deixamos para lá, começando por exemplo pelo fim. Se fossemos tão fortes não teríamos chegado tão rápido ao fim, de uma maneira tão fácil, e pior, não relutamos, mesmo com o coração despedaçado fizemos nossos papéis, eu aqui e você ai, de novos solteiros ainda apaixonados querendo mostrar um ao outro o quanto estávamos bem, quando na verdade bem não estava nem a fantasia que usávamos. Não que esse motivo apenas por si só já não bastasse, mas como disse, esta é a última despedida, então não quero deixar nenhum assunto para trás para o caso de um "ainda temos que conversar" aparecer, devemos chegar a um ponto que não temos mais assuntos, rezo todos os dias para que isso seja possível. Bem, um outro ponto mais do que discutível é o tempo, passou tanto e tanto que não consigo mais lembrar dos traços do seu rosto, e não me venha dizer sobre fotos, porque ela gravam apenas um segundo, me refiro aos traços do rosto em movimento, em constante adaptação ao frio, ao calor, ao medo, a felicidade e ao amor. Duvido que lembre dos meus, mas mesmo tendo certeza que lembra da minha voz, pois as ligações de madrugada nunca pararam, e as conversas sempre sem assunto, apenas para ouvir essa tênue voz logo se dissiparão e ela logo será apenas um sopro na sua memória. Meu último ponto será a distância, não digo os quilômetros das estradas, porque esses um carro qualquer pode cortá-los, digo da distância de nossas almas, não podemos seguir com as almas distantes mesmo que ainda haja amor no coração, isso só destrói e não conforta em nada. Não nos conhecemos mais, e vivemos apegados um ao outro apenas por uma lembrança de um tempo que foi lindo, esquecendo do dia do fim, das marcas do tempo e do vazio da distância. Poderia sim ser diferente, talvez até existisse até  hoje, mas pra mim chega, não tenho folhas mais para continuar escrevendo esse romance esperando que chegue um final feliz. Talvez você não acredite que esse seja o final desse livro e que quando fizer sucesso nossa história eu vou ficar deslumbrada e logo te procurarei para juntos escrevermos outro volume, mas não, isso não cabe mais a nós dois, esse é definitivamente um capítulo final. Não torne isso mais difícil, isso faz parte de um novo pensamento meu, aonde me desapego de tudo que um dia foi meu, e agora vou trancar em uma urna do tempo, que talvez daqui 50 anos eu abra para sentir o gosto doce de uma juventude bem vivida. Mas agora não, tranco assim, e que termine assim. Espero que viva bem, que sinta todos os dias o sol na pele e que nunca deixe de amar, nunca tranque o coração e que não me responda essa carta, porque enquanto você lê isso, a chave da urna já estará bem longe, em algum lugar ao sul e enfim, poderei viver feliz.


da sua ex-lembrança

adeus .




0 comentários:

Ir arriba

Postar um comentário

Quem sou eu

Minha foto
Escrevo pra não falar sozinho. - Cazuza https://twitter.com/_alemdosofa
Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email

Guia

Seguidores

Visitantes

contador
 
 

Diseñado por: Compartidísimo
Con imágenes de: Scrappingmar©

 
Ir Arriba