sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Não fume, não beba, não viva, não pense em sonhar.

| |

Depois de um certo tempo, que não pode ser medido nem planejado, tudo toma seu lugar. Uns vão, outros ficam, outros estão fazendo as malas para chegar e por ai vai. Essa semana em meio a meus devaneios e essas horas que parecem voar eu lembrei de muita coisa, e não costumo fazer isso, mas balanceei tudo que aconteceu na fase mais remota da minha vida. Eu sinto falta de tanta coisa, mas não as queria hoje em dia, não se habituariam nos meus dias atuais. Queria também ter tomado outras decisões, quem sabe tudo não seria diferente, mas não é a isso que me apego. Os dias nos calendários não param, e os planos são tantos! Nenhum deles completado, mas todos ainda em pauta. Ele estava aqui um dia como se fosse uma flor dentre as várias do ramo posta em um vaso bonito para enfeitar o ambiente. Eu tirei essa flor do vaso e talvez nunca tivesse feito isso se soubesse o que aconteceria. Coloquei-a no meu cabelo e a levei em todos os lugares, mostrei os cheiros e gostos, apresentei outras flores e contei sobre todos seus espinhos assim como não me esqueci em nenhum momento de dizer sobre seus perfumes. Nunca deixei que tocassem na minha flor, ela era minha e de mais ninguém, e a guardava com o mais profundo cuidado, mas a flor criou vida, mapeou tudo o que eu mostrei, se soltou dos meus cabelos aos poucos e se foi. Eu ainda a vejo por ai, as vezes recebo recados ou encontro suas pétalas caídas, mas ela nunca está porque com certeza teve que levantar e continuar. Eu implorava para ela voltar, queria cuidar dela e adverti-la do mundo que nunca mostrei, do resultado que isso daria, falar tudo que estava engasgado e dizer que sentia saudade daquela flor junto a mim, saudade do perfume e até dos espinhos que me arrancavam fios de cabelos. Mas de nada adiantou, a flor se foi, e hoje eu a deixo livre por inteira, ela sabe aonde ir, sabe como voltar, mas não sabe se vai me encontrar. Hoje não sei se ela sentiu minha falta, falta do aconchego na minha cabeça, falta da fumaça de cigarro que entorpecia-a toda vez que estava entre os amigos, mas eu não me importo, eu cuidei, eu protegi e ela quis saber sozinha como eu tinha aprendido tudo, e agora não posso impedi-la. Ele era essa flor, e mesmo não sendo mais tão vistosa e tão alegre cheia de pétalas, ele ainda será aquela flor.




2 comentários:

  1. Poxa, fiquei com vontade de ter a minha flor de volta. Mas eu também fiz tudo isso, e esperei fazer algo mais importante, esperei fazer falta... Mas acho que isso, bem isso, eu não fiz. Então passou, passou tempo demais. E uma hora você é apresentada à um jardim tão imenso e bonito, que se pergunta porque desgastou-se tanto com uma florzinha boba. E ainda assim, no fundo, sabe que aquela flor boba vale mais pra você que o jardim inteiro, mesmo que você não queira assim.

    ResponderExcluir
  2. Não abandona sua flor não anjo, mesmo que ela estiver secando, são poucas as flores que a gente coloca nos cabelos pra levar em todos os lugares!

    ResponderExcluir

Quem sou eu

Minha foto
Escrevo pra não falar sozinho. - Cazuza https://twitter.com/_alemdosofa
Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email

Guia

Seguidores

Visitantes

contador
 
 

Diseñado por: Compartidísimo
Con imágenes de: Scrappingmar©

 
Ir Arriba